Em algum momento, o leitor já deve ter ouvido dizer que o Marketing Digital, o Marketing de Conteúdo ou o Inbound Marketing são a solução para todos os seus problemas em termos de marketing.

O propósito desse artigo não é vender o Marketing de Conteúdo como panaceia para todos os males e dúvidas relacionadas às suas políticas promocionais de marketing. Pelo contrário: queremos que o leitor perceba a importância de saber levar a mensagem pelo canal correto, de modo que ela chegue ao seu alvo. Queremos, também, fazer com que o leitor perceba a necessidade de pensar suas políticas de marketing, inclusive as promocionais, no longo prazo.

Marketing e Marketing Promocional

O leitor pode ter alguma dificuldade com a profusão de conceitos contidos na introdução desse artigo. Vamos torná-los mais claros. O marketing, como sabemos, é uma disciplina e uma orientação de negócios que tem como propósito aproximar empresas e consumidores, promovendo trocas justas e satisfatórias para ambos os lados, em que a empresa obtém o maior lucro e o cliente o maior valor: a satisfação plena de suas expectativas.

Atualmente, é comum dizermos que o propósito do marketing é entregar experiências excelentes ao consumidor. Não difere muito da definição anterior, uma vez que o reconhecimento da experiência altamente satisfatória por parte do consumidor é fator de lucratividade para o negócio, na medida em que, presume-se, esse se transformará em um cliente fiel à marca.

O Marketing Promocional é parte dessa experiência. São as múltiplas formas como a empresa se comunica com o seu público, de modo a atrair, provocar expectativa, educar, explicar e convencer.

marketing de conteúdo

O papel das mídias

As mídias são os canais por meio dos quais a empresa se comunica com seus consumidores.

Televisão, jornal, revista, outdoor, rádio e até algumas mídias digitais podem ser considerados meios tradicionais. Na verdade, o conceito de mídia é mais amplo. Um brinde com uma mensagem que faça alusão à marca ou a algum produto é uma mídia. A camisa de um clube, uma federação ou um atleta olímpico é uma mídia na medida em que expõe uma marca patrocinadora. Essa mídia serve para promover o patrocinador.

Cada tipo de mídia é adequado a um tipo e mensagem e atinge um determinado público. O grande desafio, como veremos a seguir, é escolher as mídias certas para distribuir seu orçamento de Marketing Promocional.

Os três passos para tomar a decisão certa

1- Defina seu público e faça um mapeamento de mídia que permita identificar as melhores formas de chegar até ele!

Não há outra forma de definir o seu público que não seja fazer uma pesquisa de mercado e consumidor para poder quantificá-lo, situá-lo geograficamente, entender seus hábitos de compra, seus valores e suas influências.

Quando falamos de suas influências, temos um dado chave para a nossa questão, que diz respeito sobre as mídias que ele busca para se informar e colher influências para as suas decisões de compra.

Essa é a melhor forma de mapear as mídias de forma eficiente.

2 – Defina o orçamento promocional

O erro recorrente nos gestores de marketing é não dar a devida importância ao orçamento. Orçamento é uma poderosa ferramenta de planejamento. É preciso definir quanto a empresa pretende investir em marketing. O passo seguinte é dividir esse orçamento pelas diversas campanhas. De posse do orçamento individual de uma campanha, você pode dar o passo seguinte, que envolve a escolha das mídias e a definição de quanto em recursos será investido em cada uma delas.

Apenas ressaltando que o orçamento promocional não é o mesmo que orçamento de marketing. O orçamento de marketing é dividido entre promoção, tecnologia, pesquisa, etc.

3 – Prepare um planejamento de comunicação com base nas metas previstas para o período, o custo e o alcance das mídias com relação ao seu público.

Agora que já conhecemos o público, sabemos por quais mídias chegar até ele e quanto temos disponíveis para esse empreendimento, é só fazer uma análise ao cabo da qual consigamos alinhar:

  • Metas e objetivos
  •  Mídias
  •  Distribuição do investimento

As metas e objetivos vale lembrar, são mensuráveis no tempo. Isso quer dizer que há um prazo para alcançá-los.

É claro que não estamos falando de uma coisa simples. Estamos falando de planejamento. A boa notícia é que o planejamento pode ser revisto com os resultados.

É aqui que entramos na questão do Marketing de Conteúdo x Mídias Tradicionais.

Não existe essa oposição. O que existe é a complementação e a adequação das escolhas aos recursos.

Algumas mídias, digitais ou não, atendem a demandas de curto prazo de uma forma satisfatória. Se você vai lançar um produto de consumo de massa e quer posicioná-lo rapidamente na mente do consumidor e no ranking de vendas, terá que investir pesado em mídias que atinjam rapidamente um grande número de consumidores. Podemos incluir nesse mesmo pacote a publicidade na TV e no Google Adwords.

O que essas mídias têm em comum? São caras.

O papel e a força do Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo é barato? Sim, é uma das alternativas mais baratas. Você constrói um blog, cria páginas nas redes sociais, contrata uma agência para produzir conteúdo e fazer o SEO e tem um custo mensal baixo.

Como não existe solução mágica, é preciso ter a consciência de que os resultados também não serão imediatos. É preciso estar consciente de que o conteúdo atrai as pessoas certas para o seu site, mas é preciso saber trabalhar esse público corretamente na hora da decisão de compra.

O importante a ressaltar é que o Marketing de Conteúdo é uma ferramenta poderosa de atração, que disponibiliza para o público conteúdo que tenha relação com o seu negócio, atraindo as pessoas certas.

Ele permite que a experiência do cliente – lembra-se dela? – comece muito antes da compra, o que significa ter a oportunidade de encantá-lo ao longo de um processo que levará a ela.

O Marketing de Conteúdo é, acima de tudo, um serviço que você presta ao cliente, entregando a ele informação e esclarecimento, podendo gerar um relacionamento empresa-cliente que antecede a própria compra.

Leve-se em consideração, no entanto, que chegar à primeira página dos mecanismos de busca da internet não é nada fácil, logo é preciso diversificar seus canais de divulgação, o que implica ter ampla atividade nas diversas redes sociais